quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Cor Especial

Acredito na força das palavras e os seus significados. Nada deveria ser dito em vão e pelo bel prazer de proferir sons se estes não têm sentido algum. Por este motivo sou apologista que Los Del Rio, devem um favor à humanidade em prol de fazer jus ao seu nome e se deveriam atirar ao rio com um Opel Corsa amarrado aos pés.

Resido, actualmente, em Sevilha, cidade que tem “…un color especial” de acordo com estes Shakespeares dos anos 80. Pois, tudo me leva a crer que estes senhores sofrem de daltonismo, ou que a virgem lhes caiu na cabeça a meio da procissão em petizes e lá se foi o raciocínio lógico. O mais perto de uma cor especial que vivenciei nos últimos 8 meses foram os faróis tom néon quase fundido do eléctrico que se move à velocidade estonteante de 10km/h pelo centro da cidade, incapaz de abalroar um pombo nem com boas intenções.

Sevilha é uma cidade cheia de carisma, que facilmente se absorve e nos extenua num par de horas. É uma daquelas cidades com magia, onde se um autocarro turístico cessa movimento para abastecer e segue o seu caminho, ninguém chora nem barafusta. Cuba do Alentejo é uma cidade cosmopolita ao lado disto, só ninguém canta sobre ela porque vai bem ao português desprovido da possibilidade de viajar a Havana, ter onde fazer a foto para o Facebook ao lado do sinal de autoestrada que menciona Cuba. Um segredo dos deuses ponhamos assim.

Esta língua abençoada pelos deuses não se assemelha a castelhano nem por casualidade. Soa a um espanhol asmático, filho de uma madeirense gaga, a tentar gritar Klingon enquanto corre para apanhar o comboio [referencia a Star Trek para quem perdeu o fio à meada]. Agora imaginem este som em repetição e tom de procissão pelas ruas da cidade a cada dois dias. Melodia magnifica para acompanhar com incenso de odor tão forte que é capaz de encobrir o cheiro a excrementos de cavalo que benze a cidade e dos corpos moribundos que jazem nos recantos por inalação de tanto incenso.

Uma cidade magnifica onde se pode usufruir da temperatura amena de 50 graus à sombra durante todo o verão. Onde um chafariz é um oásis pois ninguém pensou que seria boa ideia ter piscinas neste desterro. Em Sevilha tenho explorado a vontade pululante de deixar de viver a cada passo e ver a arte de dormir como um desporto de risco, pois podes morrer afogado em suor. É como ser bombeiro, mas sem a parte altruísta, é apenas o gostinho mórbido de andar pelas chamas ardentes como ato de sobrevivência e os outros que se lixem.

Sevilha, terra cor de labaredas, onde os santos nunca são suficientes e o imigrante português desespera entre tapas e inexistência de vocabulário lógico. O local de férias de sonho para núcleos familiares que tenham herdeiros boçais que queiram ver sucumbir em bons modos em pedidos de regresso a casa.


8 comentários:

  1. Nada,
    Não desminto sequer uma letra, pois nunca tive outra experiência com a cidade, senão em visita e de forma muito fugaz. Dou-te, por isso, toda a legitimidade.
    As cidades são uma espécie de mutação. Ou esperamos isso delas.
    Boa continuação! E que não te falte a visão aguçada. :)

    ResponderEliminar
  2. Ahahahah
    Está visto que só com uns óculos especiais se consegue ver o encanto!
    Mas olha... Cada um usa os óculos que tem!
    ;)

    ResponderEliminar
  3. Vai daí e essa cidade é feita para mim. Adoro calor.
    Há quem diga - para se meter comigo - que, quando for para o inferno (sim, há gente que tem a certeza que, depois da minha passagem pela terra, o meu destino será esse), irei pedir aos outros pecadores que fechem as portas, com medo das correntes de ar.


    Então e o inverno, como é que é?
    (estás a ver o meu interesse? não tarda nada, deixo Coimbra por Sevilha. ;D)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu dizia isso tambem...era muito giro o calor e tralala...mas convido-te a vir aqui ao inferno em Agosto....ai filha ou tens uma daqueles ventoinhas na testa ou esquece o andar na rua.
      (Mas chega o inverno e ta frio...não neva nem nada...mas ta frio...um desgosto!! Nao te atrevas a trocar Coimbra por Sevilha que te expulso de aqui à vassourada...mas com amor =P)

      Eliminar
  4. Não conheço a cidade mas adorava visitar!

    ResponderEliminar
  5. Nossa!!!
    Não fazia ideia.

    Que bom texto para afugentar turistas ! :))

    ResponderEliminar
  6. Ahahahah! Message reçu sept sur sept. ;D


    (olha, tentei responder por baixo do teu comentário ao meu comentário. mas não deu. não me perguntes porquê.)

    ResponderEliminar