terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Palmada na Nalga

As Cinquenta Sombras de Grey, o livro que provocou clamídia a mulheres em todo o mundo devido ao tamanho realismo dos detalhes sórdidos em cada linha e por ser o mais próximo que muitas tiveram de levar umas pancadinhas amorosas não relacionadas com o Benfica perder na Luz, vai agora chegar ao grande ecrã. Com excepção das senhoras que têm toda a colecção Outono – Inverno de chicotes no armário, tratem de não visualizar este filme no cinema. Para quê bater no ceguinho se já leram o livro? É só enxovalhar o vosso psicológico com imagens sexuais que no máximo vão ser reproduzidas com o pacote de pipocas, o vosso homem já deve odiar o livro, ver a performance sexual do actor jeitosinho numa tela gigante só vos vai levar a não ter sorte no quarto por um mês.

Nada mais promissor que uma história de amor e palmadinhas na nalga. Se vos alegra de alguma maneira, todas nós somos altamente sadomasoquistas, simplesmente exploramos os nossos dotes a nível particular e não com um senhor rico e bem parecido, que trabalha em part time no Mestre Macro para manter o stock de fita adesiva e amarras lá em casa.

Pobres não são aqueles que após um acidente sofrem de amnésia (vá é chato…), somos nós que por tamanha estupidez que nos assiste nos auto induzimos longos períodos de amnésia, muitos deles associados a garrafas de Casal Garcia ou tensão pré menstrual, mas outros forçados desde manhã até que o sono ganhe. Após o fim de uma relação, insistimos em esquecer como a relação era apenas comparável com comer um bolo-rei em Março e convencemo-nos que podíamos ser felizes, ter trigémeos e não cometer homicídio antes dos 60 anos de idade. Nós gostamos, genuinamente, de sofrer. Vá que levar com uma palmada bem assente saiba melhor que ocupar o tempo a pensar nos filhos que não tivemos, na casa que não comprámos e na viagem que vamos fazer com o nosso gato que é o único que vai aturar a nossa paranóia e é só porque o alimentamos.


A realidade é que não há homens ricos a pingar fetiches suficientes para todas nós, uma pessoa tem que se safar com o que pode. Eu, pessoalmente, gosto de ofender as batatas fritas antes de as ingerir, dá luta, é tentador e elas ganham sempre. Como qualquer bom romance.

19 comentários:

  1. 50 sombras não tinha assim tanto pormenor sexual.. se lessem a coleção 80 dias de Vina Jackson então aí ficavam a saber bem mais sobre o mundo obscuro do sadomasoquismo :P

    ResponderEliminar
  2. Não achei nada do outro mundo. Não amei o livro, mas não vou ver o filme. Mas entre adultos, matem-se, esfolem-se e façam o que quiserem.

    ResponderEliminar
  3. Clamídia? E a Gonorreia? Desse flagelo não se fala :D. Li o primeiro livro e achei aquilo muito fraquinho. Queria chibatada a sério.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bemmmm...ou é ou não é....!!! Eu aqui a ser toda fofinha com paladinos se afinal est juventude é toda dos cabos eléctricos e sexo á bruta encima de touros na largada da moita xD. Didi....respect!

      Eliminar
  4. Não li os livros mas tenho uma certa curiosidade com o filme.

    ResponderEliminar
  5. Li a trilogia e adorei por tudo aquilo que nos conta nas entrelinhas. Tem muitas cenas de sexo e todas elas são detalhadas, mas acho que isso é a consequência da condição dele, uma vez que efetivamente procura alguém para ser sua submissa e não uma mulher com quem ter uma relação dita normal. Fascina-me a desconstrução das personagens, perceber o que motivou determinadas reações e a própria história de amor que se cria entre as personagens. Ajuda-nos também a ter uma pequena ideia de uma realidade que não é comum a muitos de nós, mas depois está carregado de humor.
    Claro que isto é só a minha opinião, mas o livro é mais complexo do que parece. Estou bastante curiosa para o filme por causa da transição livro-cinema. Há pormenores narrados que quero mesmo ver como resultam no grande ecrã (como a dança deles, por exemplo). Ainda que ache que vá sair desiludida.

    Adorei o texto, como sempre!

    r: Muito obrigada *.* sabe tão bem escreviver, além de que nos liberta.

    ResponderEliminar
  6. Não sei como comentar isto, apenas me ocorre a história do tipo que, no restaurante, pediu um bife com batatas fritas à parte e como só lhe serviram o dito sem as ditas, ele levantou-se e protestou bem alto: Então, as p*tas das batatinhas nunca mais vêm?!

    ResponderEliminar
  7. Tenho de concordar com a Briana!
    Ofereceram-me o "50 sombras" nos anos, e depois de uns meses na prateleira acabei por lê-lo.
    Em termos de literatura não vale um chavo!
    Lê-se numa acentada, pois claro… sexo sem nada mais que dê que pensar…
    Fica muito, muito aquém dos livros que o meu pai tinha escondidos na parte de trás da prateleira! Esses sim! Fizeram as delícias da minha curiosidade adolescente! Ahahahaha
    Não lerei seguramente os outros 2 volumes do Grey!
    E com toda a certeza não irei vê-lo ao cinema!

    ResponderEliminar
  8. Eu até gosto de dar uma palmadinha!
    Olha ... faz-se o que se pode.

    ResponderEliminar
  9. dizem que é muita venda e muita chibata e muita vontade de inovar...dizem! não li, não vi, sou assim uma grey-excluida, fico à sombra!

    ResponderEliminar
  10. Não li o livro e ainda não vi o filme. Convidaram-me por diversas vezes, mas ando a adiar. (Ninguém devia fazê-lo. Convidar, claro) Mas, por certo, a tua opinião, resumida neste texto, terá bem mais conteúdo, literário ou outro (o sexual incluído) do que o livro e, agora, o filme. Eu lia o resto da tua opinião.

    ResponderEliminar
  11. Não li o livro e não vou ver o filme ! Pronto, era só.

    ResponderEliminar
  12. Das parcas páginas que li do livro tirei a minha conclusão. Aquilo é uma merda. É i harlequim fashion.

    ResponderEliminar
  13. Li os 3 livros, mas confesso que tenho receio de ver o filme... Acho que nunca conseguirão pôr no grande écrã aquilo que a minha big head fez como filme. Até à data não vi o filme. Já li algumas críticas, a maioria negativas, de qualquer forma, aquilo são somente livros para passar o tempo e fazer a cabeça trabalhar por vontade própria (e com sorte, ter um homem por perto que alinhe em algumas brincadeirinhas, pelo entusiasmo que cada qual retirou, ou não, do que leu). Não é suposto ser uma masterpiece. Mas o que sei eu? Sou uma trintona que não tinha nada que fazer quando começou a ler isso.... :)))

    ResponderEliminar
  14. A primeira frase é tão boa que tive de ler 3 vezes para ter a certeza que era isto que estava a ler. E não, não é pela referência ao Benfica!

    ResponderEliminar