sábado, 17 de janeiro de 2015

Pousa isso

O momento de magia incomparável que é o nascimento do teu filho está a decorrer e em vez de aproveitares cada segundo estás a ver tudo pelo ecrã do telemóvel. Tens que alinhar a câmara de maneira a que possas depois meter o vídeo nas redes sociais sem ferir susceptibilidades. Os primeiros minutos do encontro tiveram silêncios constrangedores, mais vale começar já a procurar alternativas no Tinder. A comida chegou à mesa, quer seja uma pizza saída do congelador ou o prato mais gourmet que te vai passar pelo estreito, frio é que ele se come bem, pois a prioridade é tirar uma fotografia, meter uns efeitos, divulga-la e só dar uma garfada após responder ao primeiro par de comentários. A tua namorada está linda hoje, podias olhar para ela que está ao teu lado no sofá e dizer-lho, mas nada é mais verdadeiro que um like no facebook. Pousa isso.

Estamos numa era de tecnologia. Já não precisamos de ter músculo no dedo para rodar os números no telefone, uma cadeira para conversas longas pois o fio é curto e saber o último nome dos nossos amigos para os procurar nas páginas amarelas. Acabaram os gritos de, “desliga a internet que eu vou ligar à tia!”. Já lá vai o tempo em que esperávamos uma semana para ver relevados rolos queimados e sorrisos desfocados. Ou receber cartas de anúncio de gravidez, após a criança já estar a terminar o ensino básico.

Vivemos numa era com todos os trunfos para sermos pessoas sociáveis, comunicarmos com os que amamos e descobrir amores por detrás de caras desconhecidas. Porém, ninguém "o" pousa. Estamos todos demasiado ocupados a olhar para ecrãs para ver o que se passa à volta. Antigamente os pescoços rodavam. Estão demasiado ocupados a fazer likes e mudar as fotografias de perfil para o melhor ângulo ou para frases em prol de revoltas que não conhecem o significado.

A menos que a água se transforme em vinho no teu copo, estás a gastar tempo em tirar a fotografia. A menos que o teu cabelo vá sofrer de combustão espontânea em segundos e as tuas amigas o queiram soprar até à exaustão, estás a gastar tempo em tirar a fotografia. Sou pró fotografia, mas mais pró vida. Os amigos não se medem por likes e estamos a cegar pelo que as redes sociais nos dizem. Nem todos estão felizes e bem, mas ninguém mete fotografias do patrão a mandar-nos abaixo ou da discussão que tiveram com o namorado pela manhã, a menos que queiram frases de piedade porque a falta de amor-próprio não tem mão no ego.

A tecnologia deixa-nos alcançar o mundo, mas não se esqueçam de pousa-la. Porque um dia, tal como um VHS vocês não vão funcionar com nenhum aparelho actual e mesmo com histórias por contar, se não tiverem ninguém para as ouvir, é como se não existissem.

10 comentários:

  1. Contra mim falo e reconheço, estamos demasiado dependentes das novas tecnologias. Temos que aprender a viver mais de outras coisas

    ResponderEliminar
  2. Às vezes dou por mim a pensar:'quem me dera ter tirado uma foto para mostrar aos meus amigos os disparates que os meus gatos fazem'. Mas depois penso que o tempo que demorava a tirar a foto perdia eu a 'fun' toda em tempo real...
    (e um àparte, se esta semana tivesse tirado uma foto ao boss enquanto ele me 'despromovia', acho que o resultado teria sido um processo disciplinar ehehehh)

    ResponderEliminar
  3. É completamente irritante estar com uma pessoa e vê-la constantemente com o telemóvel na mão... Até me pergunto o que estará a fazer de tão importante no telemóvel que não possa guardá-lo dentro da mala, do bolso ou do que for durante uns minutos... Muitas vezes, quero estar com alguém com quem possa conversar, e esse alguém parece estar sempre mais interessado no que se passa nas redes sociais ou em quem está do outro lado da linha telefónica a enviar-lhe mensagens...sinto-me logo ignorada e a pensar que estou a perder o meu tempo. Só me apetece dizer que largue aquela porcaria por um bocado. God, que vício; é como se fosse falta de respeito. Irrita-me tanto (isto e o facto de documentarem a sua vida toda e de estarem sempre a tirar fotografias, só para mostrarem aos outros o lado perfeito da sua vidinha), talvez por pertencer ao grupo das poucas pessoas que mal mexem no telemóvel e que são capazes de se desligar por completo das tecnologias quando estão com alguém...

    ResponderEliminar
  4. Tens tanta razão no que escreves! No outro dia tinha com umas amigas uma mesa linda com coisas deliciosas e não começámos a comer sem tirar a foto certa para publicar no facebok. Enquanto esperava que se tirassem as fotos dei comigo a pensar que algo errado se estava a passar. Andamos cada vez mais a sentir as coisas e a vivê-las para o virtual. É muito gira a tecnologia, mas temos que ter cuidado porque facilmente nos afasta do real e nos suga para mundos de faz e conta.

    ResponderEliminar
  5. Oh caraças, não posso com isto das fotos à mesa, depois Espera que vou publicar, depois o ecrã sempre a acender com os likes...
    Posso partilhar, posso, posso?

    ResponderEliminar
  6. Só sei que fui ao balcão do operador reclamar porque o telemóvel não funcionava e o funcionário, solicito e benevolente, disse-me: Mas isso é uma câmara fotográfica...
    :(

    ResponderEliminar
  7. :) mereces like, comentário e partilha! Com direito a smile e tudo. Porque é mesmo isto, está muito bom e não quero que entres em depressão por falta de feedback virtual :D **

    ResponderEliminar
  8. Subscrevo. E o quanto me irrita toda essa montra de uma vida que se vislumbra perfeita, mas que na realidade, nunca o é.

    ResponderEliminar
  9. Texto muito bom. Não posso com os cafés que combino com amigos e depois está tudo a tirar a 164545ª foto a um café para pôr no instagram #coffeewithfriends
    how damn boring

    ResponderEliminar
  10. Concordo a 100%, parabéns pelo texto que está excelente.

    ResponderEliminar