terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Por uma uva

A idade é um posto. Só ninguém avisa é que pode ser um mau posto. Ninguém me perguntou se queria ser promovida nisto da idade, eu estava perfeitamente conformada com o desemprego etário dos meus ricos 20 anos. Agora dou por mim com uma cara capaz de ganhar um São Bernardo numa competição de pedigree e a fazer douradinhos às 6 da manhã, porque me pareceu uma ocupação do meu estado de insónia mais plausível que aprender a dançar quadrilha, sozinha.

Trabalhar à noite destruiu o pouco potencial que tinha para ser uma pessoa normal. Podem começar a percorrer as carreiras da noite nessas cabecinhas e se vos alegrar o dia até me podem visualizar como uma acompanhante de luxo disfuncional que gosta de acepipes. Trabalho quando os outros estão em casa e o meu leque de escolhas de parceiros para a vida passam por desempregados, alcoólatras ou drag queens. Nem os sem abrigo querem nada comigo, que quando saiu do trabalho estão eles a dormir, uma palavra amiga torna-se rapidamente num calhau na testa. Aceitei esta escolha para a vida, mas sei que vou chegar aos trinta anos totalmente senil. Ainda tenho uns anos pela frente e já dou por mim a caminho de casa a divagar sobre problemas da nação, como as tendências axadrezadas da moda lenhador e como haverão barbas carregadas de ténias.

Na literatura a noite sempre foi tida como a altura de expressar o nosso lado oculto e maligno. Ora o meu lado maligno vai surgir com extrema rapidez se eu não conseguir regularizar os meus sonos e fingir que estou muito feliz todas as manhãs quando saiu de casa. “Ter uma vida” é um conceito pouco exequível no meu caso, visto que estou perto de criar um facebook para a minha almofada, sendo a única relação estável da minha vida. 

Aproxima-se a passos largos o fim de ano e pondero seriamente nem pedir os desejos de meia noite. Aqui comem-se uvas à meia noite e não passas, a menos que um dos meus desejos seja encontrar o amor da minha vida na ala de urgências do hospital local, mais depressa morro engasgada a enfiar pela goela uma uva por badalada (e nem vou frisar o impacto das grainhas que serão projectadas pela minha boca a velocidade sobrenatural), do que consigo desejar o fim de noites mal dormidas, a sorte grande (ou pequena, já estou por tudo) e um príncipe sem ténias na barba e menos maquilhagem que eu, antes que termine a abébia divina de desejos descabidos.

Uma excelente passagem de ano e que passem as doze badaladas num pais cuja tradição passe por dar doze caneladas a desconhecidos, sempre parece mais plausível que uvas (o próximo país para que emigre terá, certamente, um brioche com melaço por cada badalada como tradição, é esse o meu nível de sorte).

13 comentários:

  1. Espero que 2015 seja sinónimo de conseguires regular o teu sono :p e que seja um ano em grande!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, que tenhas um 2015 feliz. Com muitas noites dormidas, e com muitos motivos para te fazer sorrir.
    Eu não mexo em passas, fico-me pelas sultanas. Preferia uvas...
    (malvadas tradições)

    ResponderEliminar
  3. Feliz 2015 com badaladas, uvas e passas, pois tudo faz parte do kit fim de ano! Grande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Boas entradas, fiquei curiosa em relação ao teu trabalho

    ResponderEliminar
  5. Fechei a porta, encostei a enxada, pousei o pincel e desliguei a câmara, mas não me esqueci de ti. No fundo voltei ao local de onde nunca devia ter saído. Não sei se percebeste, mas levei o teu link comigo.
    Obrigado. Obrigado pelo comentário
    Beijinho grande!

    ResponderEliminar
  6. Aqui em casa metade come passas, metade come Uvas. Boas entradas.

    ResponderEliminar
  7. Boas entradas menina e muitos brioches com melaço para 2015 :P

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. r: Nunca tinha visto aquele livro até o receber. Ao início, confesso, estava um pouco reticente, mas depois rendi-me :)
    Obrigada e igualmente! Tudo de bom para ti*

    ResponderEliminar
  9. Celebrar com doze uvas até nem deve ser mau. Complicado era se fosse com melancias.
    Mas ouvi dizer que por aí estão numa de m&m's, com chocolate e outras substâncias no recheio...

    Bom ano!

    ResponderEliminar
  10. Gostaria de te desejar um feliz 2015, cheio de coisas boas e com tudo o que desejas :)
    Beijocas*

    ResponderEliminar
  11. Esperemos que 2015 seja melhor.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  12. Que 2015 te traga tudo aquilo que desejas :)

    ResponderEliminar
  13. Eu cá comi M&M's, sempre contribui para umas mudanças, sejam elas a obesidade e as diabetes, ou outras que toda a gente sabe que estão directamente relacionadas como, por exemplo, ganhar o euromilhoes. Bom ano :) **

    ResponderEliminar