quarta-feira, 25 de junho de 2014

O amor não chega

Uma relação amorosa é como um dente do siso. Sabemos que um dia irá aparecer, mas mostra-se ao mundo quando menos esperamos. Constatamos desde cedo que irá, eventualmente, criar problemas, mas para quê arranca-lo se está tão lindo e desprovido de problemas no seu canto. Até ao dia em que notamos todos os restantes dentes a ficar tortos e ou optamos por o deixar intocado pelo conforto que é evitar a visita ao dentista, correndo o risco de ganharmos semelhanças com o focinho de um cavalo, deitando pela janela todo o investimento em aparelhos com elásticos multicolor, ou o arrancamos. Mesmo com preparação e anestesia esta opção vai doer, provavelmente inflamar e fazer-nos desejar ter o maldito dente de volta. Porém, quando a dor termina, estamos mais leves.

Esta semana arranquei o meu siso. Agora é esperar que os outros dentes ocupem o espaço vago e volte tudo ao lugar que lhe compete.

[Comentários de pena politicamente correcta são uma utilização errónea dos vossos teclados]

27 comentários:

  1. Acabaste de atribuir um focinho de cavalo a todas aquelas leitoras que, por alguma razão, ainda não conseguiram ter os dentes direitinhos com que sempre desejaram...óptimo para a auto-estima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh caro anónimo saiba sair da pequenez que é apenas ler o literal e aceitar uma analogia. Ter os dentes tortos é uma característica de muitas bocas, inclusive a minha, se lhe feri a auto-estima, peço desculpa.

      Eliminar
  2. Também já não tenho sisos, nem relações nada de nadinha...estou aqui esburacada para ser preenchida ahaha

    ResponderEliminar
  3. O mundo não pára.
    O que é que fazes Sábado à noite..? ;)

    (Too soon?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda tenho que conseguir tirar peúgas dele de candeeiros e deixar de gravar wrestling na box antes...isso sem falar de encher o facebook de músicas pesarozas à espera de comentários de compaixão...mas se me amanhar até sábado falamos xD

      Eliminar
  4. Há quem tenha a sorte de não precisar de arrancar o dente do siso, contudo acredito que exista sempre algum medo de, no futuro, ele começar a doer... e há quem o queira logo arrancar com medo de, um dia, este vir a dar problemas... As pessoas são muito complicadas... (os dentes, queria dizer os dentes :p )

    ResponderEliminar
  5. Dizem os entendidos que nove em cada dez pessoas têm problemas com um ou mais sisos, pelo que me apetece concluir que a que a outra não tem dentes. Pelo menos para morder quem e onde quer.
    Interessante a sua analogia entre o amor e o terceiro molar, porque porque se o primeiro pode magoar mas, com o tempo, há “alternativa possível”, se bem que convenha mastigá-la bem antes de engolir; já o segundo, quando começa a doer, só lá vai de alicate e o lugar fica vazio porque é absolutamente inútil, não ser para um “chega para lá” dos restantes dentes e, quando menos se espera, voltarmos a ter um sorriso encantador capaz de conseguir a “alternativa possível”.
    Espero bem que seja o caso. :)

    ResponderEliminar
  6. Continuo com os dentes do siso, até porque nunca me deram trabalho, mas a relação é que nem vê-la :p

    E mesmo que já não magoe, a lembrança estará sempre lá. As pontes caem e isso acompanha-nos para sempre

    ResponderEliminar
  7. Tudo fala de dentes mais propriamente dos sisos, esses tais que se tiram para ganhar espaço na cavidade bocal, por analogia prefiro falar de amor, esse tal que funciona de forma incondicional quando se perde o juízo...aqui também há dor quando o amor não chega ou se retira das nossas vidas...amar é bom quando o amor tem espaço na cavidade da nossa alma e mesmo que efémero pode ficar eterno na saudade...ao contrário dos sisos que não deixam saudades a ninguém..."Amamos a vida não porque estamos acostumados à vida, mas a amar. Há sempre alguma loucura no amor, mas há sempre também alguma razão na loucura".(Friedrich Nietzsche)

    ResponderEliminar
  8. Oh não penses assim... Podes ainda ter 5 dentes do siso alegres e felizes... Pensanento positivo e acredita que é verdade.

    Bjxxxx

    ResponderEliminar
  9. Ora bolas... parece que tenho que ir ao dentista. ;)

    ResponderEliminar
  10. É quase como a dos sapatos apertados :)
    http://lindaporcaoucheirodeestrume.blogspot.pt/2014/05/um-post-sobre-sapatosmetaforas-que-eu.html

    ResponderEliminar
  11. Muito me agradam as analogias, pelo sentido dúbio que, os menos atentos, lhes encontram a dada altura, mediante o discurso escolhido, claro.
    Mesmo com a ilustração tão viva de animais e da cor dos elásticos, simpatizei com o todo :)

    ResponderEliminar
  12. Já tirei três dentes do siso. ;) E não me doeu.

    Gostei da analogia.

    ResponderEliminar
  13. Antes só do que mal acompanhada.
    Há "sisos" com muito mau feitio. :)

    ResponderEliminar
  14. e eu que nunca tive dentes do siso, sou capaz de ficar sem nada pra contar!

    ResponderEliminar
  15. Olha olha, que comparação xD mas tem o seu quê de verdade :p
    Também estou quase a tirar os meus, que estão bem deitadinhos como o da imagem :)

    melhoras!

    ResponderEliminar
  16. Gostei demais !
    R: pode ser que sim (:

    ResponderEliminar
  17. Senti-me mais leve sem os dois dentes do siso que já perdi ;D
    O espaço acaba sempre por ser aproveitado!!!

    ResponderEliminar
  18. Bela metafora,
    Ainda para mais que os sisos estão associados ao juizo……
    Com juizo ou não… são "os" da idade adulta.
    Em que nada é preto ou branco, bom ou mau. Em que as dores tem forçosamente de ser relativizadas, e decisões tomadas.

    ResponderEliminar
  19. Este teu texto é uma das melhores metáforas que li até hoje. Simplesmente adoro.

    Se fores a pensar bem no assunto, as teorias da evolução bem dizem que não precisamos de dentes do siso, só ficámos com eles se quisermos ;)

    ResponderEliminar
  20. Gostei muito deste teu texto. :)

    Os meus, até agora, ainda não deram problemas. (os dentes)

    ResponderEliminar
  21. Uma metáfora bem original e bem verdadeira. :)
    Não te preocupes, os outros dentes ocuparão esse espaço. E voltará a ficar tudo bem. :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Arrancar um siso deixa sempre marcas... Há sempre um pormenor a querer invadir-nos o pensamento quando as coisas correm bem. E se tiver de voltar a arrancar?

    ResponderEliminar