quinta-feira, 29 de maio de 2014

Erro de Impressão

“Se Deus te assinalou algum defeito te encontrou”
Deus provavelmente estava todo animado a desenhar um dálmata quando os meus pais decidiram procriar e perdeu o raciocínio. A variedade de sinais no meu corpo tem patente um trabalho imensurável por parte de Deus que não se poupou a esforços em acumular defeitos no meu ser, no que parece ser um intrínseco jogo de juntar pontos com mau feitio, porque aqueles que se aproximam com caneta em punho morrem prematuramente.

Hoje recordo-me dos ditos repetidos vezes sem conta pela minha avó quando eu era criança, pensava eu que ela os repetia por estar a roçar o senil e afinal eram dicas, absolutamente nada subtis, à minha pobre confecção. Fui dotada de poucos atributos físicos para além da exímia capacidade de afastar os dedos dos pés como a saudação do Star Trek e abanar o nariz como a personagem do Bewitched (Casei com uma Feiticeira), o que demonstra, provavelmente, demasiado tempo livre a ver televisão em criança e não um talento natural. Não obstante, não me considero uma pessoa assim com tantos defeitos que Deus se tivesse que dar ao trabalho de parar de preencher os seus livros de colorir em que rabiscava dálmatas, para me colocar sinais em sítios humanamente impossíveis de ver a olho nu. Vendo bem, também posso ter sido um erro de impressão.

Há uma semana por mês em que faço jus a todos os sinais que porto em mim e eles até se tornam néon. Denominada como menstruação ou possessão demoníaca, todos os meses transformo-me numa lontra bipolar, sem qualquer réstia de amor-próprio e capaz de fingir a sua morte em público se descaradamente me roubam o fim de uma fartura. Num misto de sentimentos entre querer mandar o meu namorado para casa da mãe dele, mas ir no seu colo porque estou carente como um cão abandonado, e querer ver filmes de terror porque sinto familiaridade com a temática sanguínea torcendo convictamente pelo serial killer, mas não conseguir ver um romance sem me querer matar porque a vida de toda a gente é linda menos a minha, a minha presença torna-se insuportável. Ser chato ganha um novo sentido, considerando que o meu QI desce notavelmente e me enquadro no padrão de pessoas que quando vêem um cão falam com ele com dicção de recém-nascido e se atiram para o chão para rebolar com ele, apesar de estarem em plena Avenida da Liberdade.

Gostaria de me mostrar solidária com todos aqueles, que tal como eu, têm que ouvir ditos maledicentes e capazes de destruir a auto-estima das suas avós e como benesse ainda precisam de usar mais protector solar. Alegrem-se amigos, porque todos gostarão de vocês, por lhes lembrarem dálmatas e quando derem pelo vosso real mau feitio já é tarde.

17 comentários:

  1. ahah adorei xD eu também sou um bocado sarapintada e a mim ainda andam a descobrir defeitos

    ResponderEliminar
  2. muito bom!
    Ainda há pouco comentava que tenho o peito todo salpicado... parece-me que com a idade piora.
    Rás parta! O futuro vai ser sarapintado. Essa é uma certeza!

    ResponderEliminar
  3. Sim, sem dúvida, voltas a mais podem ter um efeito negativo. É preciso ter cautela.

    Adorei, como sempre. Acho mesmo piada à forma como abordas os diversos assuntos a que te propões falar :) também tenho alguns pontos, mas não muitos.

    ResponderEliminar
  4. Tem piada, eu ouvia sempre "Mulher sinalizada, muito ou pouco afortunada" (sempre dá para tudo).
    Eu tenho tão poucos que um dia me dou ao trabalho de os contar. Mas não passam de uns 6 ou 7, no corpo todo. Será que Deus não viu nada em mim? :) Magano.

    ResponderEliminar
  5. Ouvi dizer que com a gravidez isso piora.... Nem quero estar por perto quando pensares em fazer uma dessas... :)

    ResponderEliminar
  6. Sarapintada por sarapintada, a dálmata é sem dúvida uma boa referência, apesar da monotonia do preto e branco.
    Um ser que foi "imprimido" por Walt Disney e não por Deus, como nos querem convencer os criacionistas.
    (peço desculpa pela correcção).
    Uma raça simpática, meiga e carente da companhia de humanos -bípedes-, que cada vez são mais difíceis de encontrar, dado que se trata de uma espécie em vias de extinção. A variante que subsiste é quadrúpede, só que ainda não percebeu.
    Importa sublinhar que, na classe dos cânidas, vou mais pelo boxer -por semelhanças óbvias de perfil- ou pelo grand danois e o chihuahua, Enfim tudo exemplares de grande porte.
    Mas voltando às pintas.Se o modelo fosse a onça-pintada, a tal que tem uns maxilares que fazem os da leoa parecerem os dentes de leite de um bebé de dois anos, a situação seria preocupante para qualquer “Lacoste” que tentasse a aproximação, fascinado pela variedade colorida da pelugem, porque o mais certo era acabar feito numa mala, num cinto e nuns sapatos, para não dizer botas, tudo dependia do tamanho do jacaré, que ao que consta é o petisco favorito da famosa onça.

    ResponderEliminar
  7. Também sou algo assinalada, especialmente no lado esquerdo do rosto, quando em pequena me portava mal, que no entender da minha mãe era muito frequentemente, ela dizia-me essa frase. Foi por isso impossível não a recordar ternamente ao ler o teu post.
    Se os meus sinais assinalarem defeitos fico satisfeita, pelo menos não ando a enganar ninguém. :P

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Tenho a impressão que a tua imagem te impressiona e de que maneira. É fácil de resolver a questão, não olhes para o espelho! Deixa que os outros te admirem e tendo presente que a beleza está sempre nos olhos do espectador, quem não gostar que ponha na beira do prato! Ter muita pinta está quase sempre associado a "ruivice", mas fora isso, digo-te que também tenho muita pinta (Interior) e que me tem causado nos últimos tempos um grande embaraço...
    Como diria Agostinho da Silva ""O que é preciso para uma pessoa gostar dela própria é que ela faça o favor de fazer quanto a si tudo o que é preciso fazer para a partir de determinada altura se esquecer completamente daquilo que é ou daquilo que precisa. Se a pessoa não fez consigo tudo quanto achava que seria necessário fazer para se esquecer de si mesmo, está errada. Então deve ser egoísta até esse ponto. A pessoa só deve poder deixar de ser egoísta quando olhar para o espelho e nunca vir a cara própria, e ver qualquer outra coisa no dito espelho, em vez de si própria. Enquanto se vir a si própria, está errada e precisa de ser egoísta"(Citações e pensamentos de Agostinho da Silva- obra de Paulo Neves da Silva)

    ResponderEliminar
  9. também tenho bastante sinais. Logo 3 na cara. Mas posso dizer que os dálmatas são bem lindos :p

    ResponderEliminar
  10. Uiii eu também tenho tantos sinais que se os unir todos pareço um mapa :D

    ResponderEliminar
  11. Eu nasci a ferros e o meu namorado diz que tenho a cabeça estranha mas é mentira, tenho uma cabeça oval perfeita :( Tenho tão mas tão mau feitio, eu não vejo romances porque não tenho paciência para vidas perfeitas, agora terror e acção isso é comigo e na altura da menstruação saiam-me da frente porque discuto com todos aha

    ResponderEliminar
  12. Bem, eu não tenho grandes "marcas" mas no mau feitio em (pelo menos!) uma semana por mês revejo-me completamente no teu post! Para além dessa bipolaridade, junta-lhe uma fome que não pára! Só estou bem a comer nesses dias!

    ResponderEliminar
  13. Também sou um pouco sarapintada. :D

    ResponderEliminar
  14. Tenho algumas marcas dessas também...mas deixa lá, podemos ter mau feitio, mas é nosso. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  15. eu tenho muitas subtilezas físicas mas, não são elas que me definem :)

    ResponderEliminar
  16. Ah e tal...tenho o cérebro todo atrofiado dos trabalhos da faculdade, vim aqui dar um saltinho para desanuviar e fiquei...coise... olha, eu pareço uma albina, nem os raros sinais me dão alguma cor e graça ...

    ResponderEliminar
  17. R. Que invejaaaaa ! Ontem foi altamente (pelo menos cá em casa pareceu)

    ResponderEliminar