terça-feira, 11 de março de 2014

Valor de opinião

Os suores frios típicos da antecipação de um resultado fulcral. A excitação, o nervosismo que podem levar o melhor de nós quando após uma longa batalha o resultado final não nos compete. Kim Jong-un percebe tanto destas sensações, comuns a muitos políticos, como da apanha da batata. Kim Jong-un ganhou com uma arrebatadora percentagem de 100% as eleições parlamentares da Coreia do Norte, nas quais tinha a desafiante competição de si mesmo, mas com uma foto tirada de perfil.

Consigo imaginar o alarido. Deve ter sido uma loucura no centro de campanha do partido, com foguetes, tiros disparados por apoiantes embriagados de alegria e rumba dançada noite dentro. Ninguém esperava tal resultado! Numa sociedade em que os votos têm a opção “Sim” ou “Não”, quem não fosse votar ia compreender que o “Não” se referia a “Não foste esperto”. Até na escola primária os pedidos de namoro em papel tinham mais opções onde meter uma cruz.

Se houve algum infeliz a adormecer, actualmente tem a cabeça a prémio por dormir desprovido de responsabilidade cívica, com sentença de morte (pode ser uma sugestão para o futuro português, mandar a juventude imigrar ajudou a taxa de desemprego, se começarmos a matar quem não vota vamos ser o pais mais próspero da Europa ao primeiro referendo). Deslocando em massa toda a população às urnas, inclusive velhotas já incapazes de proferir o seu nome e crianças que ainda acham que o lugar do lápis de cor é no globo ocular ou na boca, alguns indivíduos revolucionários ao ponto de terem assinalado “Não” devem ter dado azo a que o alçapão de urna se abrisse e viraram almoço de tubarões ou partidários políticos. É uma realidade triste esta, não só ser governado por um ditador com acesso a demasiadas armas, como com a pior paralisia facial de sempre. Pobre criatura recalcada, todos os que um dia negaram a sua amizade por se parecer com uma waffle, agora estão a votar nele para poderem viver mais um dia a comer waffles.

17 comentários:

  1. As tuas hipóteses de visitar a Coreia do Norte para uma quinzena de descanso ali em Agosto acabaram de se fechar. Kim Jong-un, apesar dos desafios faciais óbvios, tem o sistema de espionagem eletrónica mais avançado do planeta (a par com o armamento e sistemas de tortura). Por esta altura o teu IP já está identificado e a tua família marcada (tudo num caderno A3, escrito à mão, com sangue de prisioneiros). Esquece. Nunca lá conseguirás pôr os pés.

    ResponderEliminar
  2. Cuidado que para o "amado lider Kim Jong-il", cá o chamado "rectângulo" ( Alberto J.Jardim dixit) é um alvo a abater por causa dos jogos de futebol (ainda o Zeca Mendonça não chutava e já eles levavam grandes abadas).
    A República Popular da Coreia é uma potência nuclear e de um momento para o outro enfia uma bomba em Belém ou em são Bento ou mesmo na Travessa do Possolo, se for à noite ao serão quando o Aníbal e Maria estiverem a ouvir um faduncho da Kátia, ou em Massamá, quando o Coelho estiver a ensaiar para o próximo casting do La Féria, enquanto toma duche.
    Quanto às votações domésticas, a "coisa"é rotineira: o cidadão-eleitor Tuga: mata o voto, espeta-lhe uma cruz, mete-o na urna e depois fica com a habitual cara de enterro.
    A seguir, para tornar a sequência ainda mais tétrica, vem o governo e zás! Corta-lhe o subsídio de funeral, perdão, de Natal.

    Desculpe mas já estou abusar na extensão dos comentários. No próximo, vou mudar para as onomatopeias.

    ResponderEliminar
  3. o terror que se vive naquele território não deve ter paralelo em outro sítio, assim que me lembre. agora a waffle ser assim apreciada por lá, é que eu não sabia. (foi só para aliviar, que aquilo não tem adjetivação).

    ResponderEliminar
  4. Volto aqui para lhe dizer que marquei uma consulta de Oftalmologia, por causa desta letra que, de tão apelativa, me dá cabo das dioptrias.
    O que me tem valido é ter guardado os rascunhos dos comentários. Sempre dá para me rir um bocado de mim próprio sem necessitar de me ver ao espelho.

    ResponderEliminar
  5. «É uma realidade triste esta, não só ser governado por um ditador com acesso a demasiadas armas, como com a pior paralisia facial de sempre», acho que isto define tudo!

    ResponderEliminar
  6. Eu, quando quis saber mais sobre a Coreia e comecei a ler o que realmente se passava por lá fiquei com vontade de a visitar, pela aventura talvez, pela loucura de certeza.

    ResponderEliminar
  7. r: Ah, acredito que seja bom ouvir isso! :)

    ResponderEliminar
  8. R: Será que sim? Não parece ahahah :)

    ResponderEliminar
  9. Yes, yes, yes, ass hole. eheheh
    Aquele pertence a uma categoria de facínoras que se eu mandasse, nunca os condenava à morte.
    Condenava-o a trabalhos forçados, de sol a sol, nas pedreiras e se levantasse o lombo durante o dia de trabalho, levava logo uma vergastada. Comia pão duro e bolorento e o toque de alvorada não era dado pelo "cornetim": era dado pelo carrasco, com 100 chicotadas em jejum e um banho de água salgada a seguir.
    Para bichos destes até a morte é mal empregada. :\

    ResponderEliminar
  10. Uma triste realidade...

    R: Aahahahha fazes bem xDD

    *Beijinhos*
    Caty<3
    http://myfairytale4.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. "nas quais tinha a desafiante competição de si mesmo" ahah és demais, não foi só com esta frase mas eu riu-me tanto com as tuas ironias. a verdade é que infelzmente isto é uma triste realidade...

    r: tens toda a razão

    ResponderEliminar
  12. Há realidades que por vezes penso que nem deveríamos ter conhecimento. Mas também depois, se não soubermos, ficamos ignorantes. Um misto, portanto. ;)

    ResponderEliminar
  13. R: Sim, tens razão. Mas estava-me a referir ao facto de algumas pessoas escolherem algo onde claramente não se encaixam.

    ResponderEliminar
  14. Já leste alguma vez o livro de José Luís Peixoto, Dentro do Segredo? É precisamente sobre a Coreia do Norte e é de nos deixar de queixo caído.
    beijinho

    ResponderEliminar