quinta-feira, 6 de março de 2014

Vá para fora...

“Vá para fora cá dentro”, sempre foi o discurso arrojado do Turismo de Portugal para os portugueses conhecerem o seu país, valorizando o que é nosso e assim contribuindo para o crescimento económico e cultural nacional. A título de enobrecer os encantos do nosso país, os preços quer de comboios ou até mesmo dos barcos que atravessam o Rio Tejo são desmedidos, levando a população a crer, por equiparação de preço, cada vez que entram num comboio em direcção ao Porto, que estão a ir à Turquia.

Com uma enorme variedade de voos a preços irrisórios para os destinos mais tropicais, viajar em Portugal começa a parecer um benefício dos mais abonados. Os meus pais habitam no lado sul do Rio Tejo e já lhes comuniquei que ou se mudam para Londres ou não vou conseguir prestar tantas visitas como de momento, provavelmente vou ter que apelar à adopção por uma família nova em Londres ou Amesterdão e esquecer esta por incompatibilidade regional. Contudo, não sejamos extremistas, Portugal oferece altos padrões de qualidade perante os preços que apresenta. Fazer uma travessia pelo Rio Tejo não proporciona só um cenário romântico, como dá direito a exclusividade de uma cadeira, para a qual terá prioridade de embarque caso acotovele todos os idosos no seu caminho. Poderá usufruir do relaxe proporcionado pelo televisor avariado desde a compra do barco, não evocando sons que o ressaltem, e o abalar suave típico de um bote insuflável em alto mar conduzirá o seu espírito ao estômago. Como não há nada melhor que compartilhar o bom da vida, terá a oportunidade de vivenciar estes momentos dispendiosos com crianças que berram, velhotes que roncam e pessoas sem higiene íntima.

Para quem algum dia andou de comboio em Portugal escusado será falar dos benefícios do mesmo. Prestam-lhe um serviço de saúde ímpar, visto que as suas costas ganham uma postura recta que nunca pensaria ser fisicamente possível, graças aos confortáveis acentos que parecem ter sido forjados de cornos de rinoceronte, aliado à preocupação dos revisores, que o vão acordar a cada 15 minutos para garantir que está vivo e não saltou a bordo do comboio ilegalmente, apesar de já o ter visto e do comboio não ter feito uma única paragem na passada hora. Caríssimos, é inevitável louvar a prestação de serviços acessível a todos os portugueses e que amplifica a sua vontade de conhecer destinos além fronteiras, apesar da maçada que é ter que conhecer o mundo e deixar de ouvir os queixumes em português por uma semana que seja.

12 comentários:

  1. Vem do tempo do Cavaco primeiro-ministro, a cruzada para acabar com o turismo de pé descalço. :)

    ResponderEliminar
  2. "Os meus pais habitam no lado sul do Rio Tejo e já lhes comuniquei que ou se mudam para Londres ou não vou conseguir prestar tantas visitas como de momento" LOOOOL, divirto-me imenso a ler este blog! Não costumo fazer essas travessias e recentemente o preço do meu autocarro "do fim de semana" baixou o preço por isso nem me posso queixar! Mas viajar para fora está cada vez mais em conta, de facto :)

    ResponderEliminar
  3. A única vez que segui a sugestão de “ir para fora cá dentro”, distraí-me e quando dei por mim já estava em Badajoz.
    A partir daí foi sempre a aviar, só parei na Europa e passei a “ir para fora lá fora”, até hoje.
    Como o Tejo já não tem golfinhos, a ideia de Londres ou Amsterdam é sedutora, mas Dublin, apesar de ter pouca graça, permite uma saída limpa...à irlandesa. Só é pena não se poder dispensar o ferry porque não há ponte e os comboios não sabem nadar.
    A propósito de comboios, lembro-me de ouvir a minha avó contar que na linha da Beira-Baixa, à mínima distracção, vinha um galinha e pimba: punha-nos um ovo no colo.

    ResponderEliminar
  4. Bons factos aqui :)
    r: Pois é, infelizmente*

    ResponderEliminar
  5. Ando de comboio quase todos os dias e é bem verdade o que dizes. O pessoal dos cp então, é de uma simpatia tremenda. Ainda ontem para comprar o meu passe foi um drama gigantesco porque o homem não estava com paciência para procurar uma ficha minha metida num pequeno monte de folhas.

    ResponderEliminar
  6. Estive a ler uns textos teus. Duas palavras brilhantes e hilariantes XD

    ResponderEliminar
  7. Confere, gastei quase tanto para ir e voltar de Porto Covo(de Lisboa), como para ir a Edinburgo.

    ResponderEliminar
  8. R: Deixa lá, para a próxima participas :D

    ResponderEliminar
  9. r: Obrigada :D
    Ahah eu também, não és a única! x)

    Já sigo! :D

    ResponderEliminar
  10. ahaha...concordo completamente com a tua descrição! As minhas últimas experiências com os transportes públicos têm sido para esquecer...sinto-me completamente roubada!

    ResponderEliminar
  11. O que eu me rio cada vez que cá venho. e não sou a única por leio em alto e bom som, para poder partilhar a risota com terceiros. Para além do mais, concordo 100% com tudo o que disseste - Para varias!

    ResponderEliminar