domingo, 19 de janeiro de 2014

A Arte de Atender

A avaliação da qualidade de atendimento ao público torna-se uma doença mental irreversível. Deixei de conseguir ir jantar fora, tomar um copo ou comprar um par de peúgas sem avaliar o trabalho das pessoas que me atendem e de lhes dar uma salva de palmas mental, ou com um barrote de madeira na boca. Partindo do pressuposto, totalmente erróneo e barbaramente ridículo, que as pessoas que dedicam a sua vida ao atendimento ao público são todas bem formadas e profissionais, o seu atendimento deveria dividir-se em duas categorias: a alegria de haver clientes bem-educados e engraçados que merecem o melhor atendimento possível; e a falsa alegria para com clientes que receberão o melhor atendimento possível, por se acharem engraçados e que a sua genialidade é tal que devem proporcionar algum tipo de educação ao comum dos mortais (afinal de contas, assim mostramos o nosso elevado nível de auto-controlo, orgulho e capacidade de não furar olhos a desconhecidos que puxam pelo nosso lado bárbaro).

O atendimento ao público torna-se gradualmente complicado, consoante a posição hierárquica em que o serviço está incluído. Uma pessoa vai pensar duas vezes antes de chatear um médico, mas rebaixar o padeiro terá como maior inconveniente não ter pão para a "molhanga" do bife ao jantar. A aprendizagem básica passa por fazer um ar de idiota disposto a tolerar as baboseiras provenientes da boca do consumidor como se da descoberta para o cancro se tratasse, sorrir imenso mesmo quando queremos colar testas com a criatura e gritar até lhe rebentar os tímpanos e falar como se de uma criança se tratasse, incluindo repetições incessantes das palavras “pois…” e “é verdade…”.

É incrível como os seres vivos se treinam entre si para ser cínicos, tudo em prol de manter um trabalho e não cometer homicídios colectivos. O importante de lembrar é que ao final do dia somos todos os consumidores a chatear alguém. O cliente não tem sempre razão…mas quer um bom padeiro, quer um bom médico o vão fazer crer que sim, só para não ter que o ouvir lamuriar.

18 comentários:

  1. Gosto de tratar bem quem me atende... já estive do outro lado do balcão e sei o que pode custar.

    ResponderEliminar
  2. Olá olá.
    Ano novo e o teu cantinho continua e-x-c-e-l-e-n-t-e!! Continua com o excelente trabalho linda.
    With love, Bárbara

    www.preppylemonade.com
    www.preppylemonade.com

    ResponderEliminar
  3. Eu ganhei esse hábito desde pequenina com a minha mãe. Reparo, critico e elogio as vezes que foram precisas.
    O bom atendimento, para mim, é meio caminho para frequentar um restaurante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem verdade...por vezes a comida nem é nada de especial mas se o atendimento é bom...vale tudo =)

      Eliminar
  4. gosto de tratar e ser simpatica com todas as pessoas... mas as vezes é tão dificil... :)

    ResponderEliminar
  5. Penso que como em tudo há que existir os dois lados. O cliente nem sempre tem razão. O funcionário, nem sempre tem razão.

    O cliente paga para ser bem atendido, "servido". O funcionário, é pago para atender dentro das normas. Se ambos fizerem bem o seu papel, tudo acaba bem. ;)

    ResponderEliminar
  6. O prazer foi todo nosso, por mais cliché que esta frase possa parecer.
    Gostámos de ti logo no primeiro post que lemos, há muito tempo atrás, e o passado fim-de-semana só serviu para confirmar a pessoa simpática e divertida que és.

    Até à próxima, que esperamos que não esteja muito distante ;)

    ResponderEliminar
  7. É bem verdade. Para a profissão que tenho em mente, aprender a lidar bem com pessoas é crucial... mas acho um desafio bastante interessante até... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é uma área fácil...mas é bastante recompensadora. Há sempre gente boa =)

      Eliminar
    2. Sim! Eu tento ser das pessoas que não chateiam muito... Uma vez ligaram-me de um call center para promover um produto e eu depois de ouvir um bocado e de já ter dito mil vezes que não estava interessada, decidi, muito calmamente responder "Eu compreendo que seja o seu trabalho dizer que o seu produto é o melhor, mas eu não estou de facto interessada"... foi remédio santo e ninguém se chateou :P

      Eliminar
  8. Defeitos das profissões. Nem toda a gente nasce com a simpatia no rol de qualidades, infelizmente.

    ResponderEliminar
  9. Atender ao público é uma arte e quanto mais dificil o cliente mais "gozo" deve dar atende-lo o melhor possível, conseguir ve-lo ir "quebrando" ai sim é o grande final de um excelente atendimento. Amei como sempre, tens aqui "cliente"............................

    ResponderEliminar
  10. Cada pessoa é como é,eu acho que temos sempre que atender as pessoas com imenso respeito,por mais dificeis que elas sejam. Temos sempre que ultrapassar as nossas dificuldades. Bom fim-de-semana e boa sorte com o teu emprego. Muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. Já lá vai o tempo em que atendimento público era para pessoas dotadas. Mais que não fosse, dotadas de paciência para a meio do atendimento não mandar alguns utentes/clientes para um sítio escuro e húmido que as mãezinhas deles (e de todos) têm entre as pernas.
    Hoje em dia, sem vínculos laborais nem empregos para a vida, há que ser pau para toda a obra.

    ResponderEliminar
  12. Adorei ler este post. Porque me revi em cada palavra. Também trabalho no atendimento ao público e cada vez sou mais exigente enquanto cliente, porque se eu tenho de aturar os outros, acho que bem haja alguém que me ature a mim. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  13. Ahahahahah! Fartei-me de rir com o post, mas reconheço a verdade e, após ter trabalhado em atendimento, comecei a avaliar o outro lado de outra maneira. Tenho pena que não haja mais formação e, se por um lado, há sítios onde me atendem de um modo exemplar, há outros que o atendimento é de bradar aos céus. E é tão simples dar um bom serviço - basta tratar os clientes como gostariamos de ser tratados. Boa semana!

    ResponderEliminar
  14. Com o passar do tempo, para ser bem atendido, o consumidor vai ter de passar para o lado de lá da secretária ou do balcão.
    :)

    ResponderEliminar